sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Somos todos Luaty porque Luaty é cada um de nós


26 dias em greve de fome. Luaty Beirão piora a sua situação e foi hoje transferido para uma clínica onde está em observação.
Só volta a comer se for em liberdade segundo o seu advogado.
É imperiosa a liberdade imediata de Luaty este perigoso revolucionário, que tanto medo está a provocar a um regime que se diz Estado de direito.
Detido sem culpa formada para lá do tempo permitido por lei à prisão preventiva (90 dias- inicio a 20 de Junho).
Este é o facto comum aos activistas.
O perigoso revolucionário Luaty oferece a vida em nome da sua liberdade e dos restantes activistas.
Em nome do seu país que um dia não muito distante viu jovens morrerem porque clamavam a liberdade para a sua pátria Angola.
Esta Nação viu também jovens prepararem golpes para chegarem ao poder.
Alguns desses jovens são hoje velhos, ainda hoje se mantêm no poder e dele nem admitem sair. Nem que concidadãos seus morram.
Ora essa! Era o que faltava!
Estes perigosos jovens são suspeitos mas sem culpa formada, de conspirar um golpe de Estado com o apoio de forças externas...
(e Luaty dá a sua vida a troco de quê? ser herói para a eternidade? Ou virá a receber um poço de petróleo numa off shore?).
Insultem-nos a inteligência que eu gosto.
Fica a minha questão:
Há ainda alguém de bom senso nalguma parte do planeta que pense que um estado deve deixar morrer um seu cidadão que pede a liberdade que tem legalmente direito, e, aguardar do que quer que venha a ser acusado e julgado?
Luaty envolve-se há muito na política como cidadão atento e empenhado em ver o seu país melhor. Tal como muitos de nós. Felizmente.
Deve pagar estas consequências?