quarta-feira, 27 de agosto de 2014

A nossa guerra

"Estamos numa guerra contra a carência e essa guerra só poderá acabar quando derrotarmos por completo o nosso inimigo que nela nos coloca"
..."só se deve desejar a alguém que se cumpra: e o cumprir-se inclui a desgraça e a sua superação"
Professor Agostinho da Silva.

Eu travo a minha guerra,
nesta prisão monstruosa,
nas asas da minha imaginação instável,
escapando-me pela escrita.
Será suficiente este sentir com esta arma ?
É o meu caminho
para me cumprir
no encontro com a sobrevivência,
através do poderoso poder da linguagem
para alterar o curso da guerra
com a utopia da liberdade no horizonte
Num parto de risco
onde neste hospital de campanha
cada um de nós se torna
uma parteira indispensável e insubstituível
Que cumpra o seu papel individual
Até o cair do pano
da nossa guerra colectiva