terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Um mundo fodido!

Mais uma “silly season” de holocausto de pinheiros, holocausto de calorias, de luzes, de prendas, de fatias paridas e “dreams” (de abóbora) também de muito amor, alegria e divertimento e o reverso da medalha, de muita hipocrisia, prestes a findar o calendário, e, o mundo a foder-se em contínuo retorno à barbárie: parte 2015!
E sem andar a foder. Isto mais que um fado triste é triste por não ser só um fado. Apenas uma má foda sem toque de fada. O calendário do mundo muda de página, mas a foda continua. As pessoas que não mudam, mal fodem e são mal fodidas.
Tudo isto me cheira a que estamos todos fodidos no ano novo, se pelo menos não fodermos mais.
Não a vida uns dos outros. Mais uns com os outros. Ao estilo: fodamos como se não houvesse amanhã antes que acabem com a nossa capacidade de foder. Penso eu, de que, seja essa a mui nobre e leal intenção “deles”.
Citando um amigo na invicta mui nobre e leal cidade de onde escrevo, digo eu também aos DDT´s (donos disto tudo) que não nos deixam fazer melhor :“não lhes perdoai pai, porque eles sabem mui bem o que fazem”.
Continuemos pois, a tornarmo-nos excêntricos ao tentarmos ser melhores. E a foder sempre que pudermos J
Um bom ano para a família, amigos, seguidores, desconhecidos e até aos inimigos. Que as “pedras no caminho” sirvam para construir os degraus do castelo.
Poesiem-se e com esta vos deixo este ano:

É uma terra danada,
Um paraíso perdido.
Onde todo 
mundo fode,
Onde todo mundo é fodido.
Fodem moscas e mosquitos,
Fodem aranha e escorpião,
Fodem pulgas e carrapatos,
Fodem empregadas com o patrão.
Os brancos fodem os negros
Com grande desprendimento,
Os noivos fodem as noivas
Muito antes do casamento.
General fode Tenente,
Coronel fode Capitão.
E o Presidente da República
Vive fodendo a nação.
Os Frades fodem as freiras,
O padre fode o sacristão,
Até na igreja de crente
O pastor fode o irmão…
Todos fodem neste mundo
Num capricho derradeiro,
E o danado do Dentista
Fode a 
mulher do Padeiro.
Passos, depois de eleito, se tornou um fodedor
Não fode o Cavaco, mas fode o trabalhador,
O Ministro fode o deputado
Que fode o eleitor.
Parece que a natureza
vem a todos nos dizer,
Que vivemos neste mundo
Somente para foder.
E, meu nobre amigo
Que agora se está a entreter,
Se não gostou da poesia
Levante-se e vá-se foder!

Autor Desconhecido – Também, pudera… se fosse conhecido, estava fodido!