domingo, 17 de maio de 2015

Requiem

Cada dia os falsos prestidigitadores colocam mais um tijolo na parede que separa os humilhados dos humilhadores. 
Ficamos a perceber a pacovice e a bandalhice fora e dentro de tijolos.
Espero a morte quase anunciada da Europa com o seu requiem, se os países mais vulneráveis continuarem laboriosamente a ser os pedreiros da nossa própria tumba e não se solidarizarem com a Grécia.
Ou o requiem far-se-à na mesma e à força de tanto fecharem a comporta, a pressão sentida dentro a fará rebentar.
Seja como for, com o planeta a receber cuidados paliativos e a produzir gente pouco recomendável, espero mudanças transformadores isso espero.
Porque as gentes recomendáveis também têm força e estão aí.
Ou a parede cresce e rebenta ou a parede cai e rebenta tudo.
Sou grega desde a fundação da civilização.
Vou começar a escrever o meu requiem aos que "escolheram ser" mercenários a soldo na minha nação e a querem já colocar no caixão.