segunda-feira, 17 de agosto de 2015

E se?

Cada vida é um livro de histórias com vários personagens e um(a) protagonista. Na jornada de auto descobrimento sobre quem é e o que lhe cabe no tempo que dura a sua história, cada herói tem inúmeros conflitos, dores, escolhas, sofrimentos, ansiedades, alegrias, amores, corações despedaçados, rejeições, ciúmes, invejas, lutas, e experiências, lições e aprendizagens, capítulos que começam e terminam. Por isso gostamos tanto de histórias e narrativas. Por isso gosto tanto de ler e escrever. Porque sou feita deste material.
Começou na mais bela viagem. Escrever a minha história no meu livro.
Agora vou criando outras.
Do nada nasce tudo.

E se cada capítulo começasse com a pergunta e se?
Deixo a poesia que dança comigo dizer tudo...

E se?
E se esta for
a pergunta
mais importante
a abraçar?
e se eu não quiser
mais a minha vida
desperdiçar?
Resta-me a cada dia
de mergulho
no que não sou
perguntar:
e se eu deixar nela
o sol amanhecer?
E se eu nela a janela abrir
e a lua cheia deixar entrar
para a iluminar
e fazer o que em mim existe
de luz e sombra
se amar
a vida não é eterna
mas é louca
eu aqui louca vou ficar
me fundir com a eternidade
e se ?
eu mais louca me tornar
e se ?
no templo da loucura do amor,
do amor
me mergulhar
e se ?
lhe der todos os sentidos
do meu corpo velho
para me abraçar
e se ?
concordar
que nunca mais escrava vou ser
mesmo que embrulhada em papel
de escravidão
ao dinheiro
na talha dourada do seu altar
e se ?
me obrigar
pela liberdade me pintar
do corpo cuidar
o espírito embelezar
os sapatos descalçar
de pés na terra assentes
de mãos seguras
levantadas
ardentes
na dança dos sonhos
me enrolar
pelo tempo que me restar
e se ?
com a minha história
acordar
que a poesia vou deixar entrar
para comigo se aninhar
no meu sono se enroscar
e com novas histórias
a cada dia
me presentear
eu sei
não mais ses
não mais mas
a minha vida
podem atrapalhar
ou destruir
e à loucura desta vida
valha a pena
me entregar
para nela me cumprir