terça-feira, 5 de novembro de 2013

Na espuma dos nossos dias, educação (sem estado ou em estado de agonia)!?


Nasceu mais um humorista !


Portugueses não há dinheiro para nada! Mais, a austeridade, ainda é pouca. Um ano sem comer, ou antes, sem nada, resolve a coisa. Dizem-nos...Eu ri-o-me com o sentido de humor deles.

Pensavam que havia vida para lá do défice e da dívida? Pois…tentem a morte antes da hora marcada, de um grupo de totós numa sucata à beira mar plantada, e gritem Hossana.
Ou Ossama. E tornemo-nos talibãs.

Antes que acabemos a pedir aos bispos lugar para dormir com os filhos.

Preparem-se para a ultima ceia ó raça esquecida de um dia ter embarcado na Companhia das Índias e, rasgado estradas de mares de infortúnios.

Todos os dias, aparece um iluminado, pior dos que aqueles da nova-era que se julgam reencarnações de Jesus e, só bebem água da torneira no cálice da ultima ceia.

Ontem foi descoberto mais um humorista nesta praça. Com o Santo Graal na mão a dizer-nos sem qualquer poupança nas palavras: morram, matem-se, paguem, calem-se.

E nada lhe acontece. De lado nenhum das instituições que deveriam defender a dignidade de quem os colocou nas ditas.

Só entre Coimbra B e Coimbra A, negociatas na Educação, com o dinheiro roubado dos nossos impostos, do Estado, mais de 100 turmas privadas para a Educação privada. Agora multipliquem o cenário pelo país muitas vezes. E o crasso humorista que fez também pacto com o diabo veio dar mais um tiro no pé dele, e, no nosso coração.

Seria humor negro?

De Coimbra veio o Zeca Afonso que cantava que “eles comem tudo” e assim continua…

Ainda não querem erguer a espinha?

No jogo do “aí vai alho”, às vezes quando aquele que saltava para as costas do parceiro com força desmedida, caía violentamente porque alguém rompia a cadeia e não permitia abusos.

Por mim chegou a hora de usarmos nós o método crato ”aí vai alho”…