sábado, 22 de novembro de 2014

A Coisa (História) que nos pariu

Scorcese, Coppolla,Tarantino, Moore, Clooney,são os meus realizadores convidados para realizar uma ficção.
O argumento é a História recente de um pequeno país na Idade Média e no 3ºmundo.
Casting: um banqueiro ex dono disto tudo, actualmente dono deles todos. Se calhar denunciante deles todos.
Ministros, autarcas, jornalistas, juízes, mais banqueiros, ex governantes, presidente.
Actores coadjuvantes: várias empresas amigas nacionais e estrangeiras, um triumvirato de reis magos, trocas de favores, rede social de contactos e amigos, incluindo estrangeiros, que largamente supera o facebook.
Tudo gente muito importante,bem cheirosa e bem vestida, com boas armaduras. À época,claro.
Muitos aventais para limpar mãos, luvas, rostos.
Há também sacrifícios e bodes expiatórios para evitar que caiam os que se julgam impunes. A queimar no cadafalso público.
Muitas vinganças, muitos ressentimentos, muitos fingimentos, muitas manipulações em cada episódio, como nas novelas trazidas de um México.

Numa determinada altura do argumento, entram estrangeiros a comprar tudo, uns ganham vistos dourados para ter casas com piscina em frente ao mar compradas por uma empresa estrangeira criadora de empreendedores e colaboradores.

De mansinho, para baralhar e adensar o argumento, chega também uma amiga de um país outrora colonizado, que passa a ser a dona disto tudo e deles todos.

Vantagem: a História em vários filmes com muitos tachinhos e taxinhas.

Os figurantes:Estão lá apenas para queimar, com óleo de limpar armaduras, dar alguns alívios cómicos,ver umas cenas escaldantes numa caixa chamada TV e ganhar umas medalhas e botas desportivas. Não interessam para nada.

Há uma aldeia gaulesa, com uns bons, acho eu. Tem de haver...vou pensar nesse aspecto da história.

Dêem-me uma tacinha que fiquei um pouco tonta e enjoada. E suja.


Já só sei que nada sei!