quarta-feira, 17 de junho de 2015

Riscos

"Não viajo como um escape da vida,viajo para que a vida não me escape" autor desconhecido


Arriscaria eu aventurar-me na principal viagem, sem correr riscos?
arriscaria eu uma vida sem ir no caudal do rio da minha imaginação?
arriscaria eu não confiar no prazer das experiências que me oferecem as viagens?
arriscaria eu não viver sem lógica nem razão comum aos comuns?
arriscaria eu viver sem confiar na razão da minha intuição?
arriscaria eu viver sem saber para onde vou para descobrir o quão longe posso ir?
arriscaria eu viver sem consciência de quem sou nos outros?
arriscaria eu viver sem mergulhar em abismos?
arriscaria eu viver sem ser para abrir ao vento a vela que me faz na vida deslizar para fora de portos seguros?
arriscaria eu viver sem explorar,sem aceitar a maré, sem sonhar,sem descobrir por mim as histórias que me fazem encantar?
arriscaria eu viver sem me desapontar?
arriscaria eu viver sem mergulhar nas grutas mais profundas das emoções que habitam o meu ser?
arriscaria eu viver sem viajar para me curar?
arriscaria não me conhecer para me curar?
A única vida que conheço, cada amanhecer,cada entardecer, cada abismo,cada recomeço são os meus riscos
sem me distrair entrego-me aos riscos e não me rendo perante os perigos
porque quereria usar o único sonho que me foi dado-a vida- sem o arriscar? sem o expor a riscos?
Arriscaria não fazer dela uma pequena obra d´arte?
a minha obra d´arte?
arriscaria eu não a querer como se quer o amor?
arriscaria eu não ter consciência da grandiosidade que ela me promete?
arriscaria eu não ser a voz intima das pétalas que me oferece?
arriscaria eu não permitir que os seus espinhos sejam a minha libertação?
arriscaria não lhe conhecer cada momento de opressão?
arriscaria não ter o poder de me transformar no seu poema?
arriscaria viver sem lhe conhecer o prazer?
arriscaria viver sem por ela me equilibrar nas suas pontes?
arriscaria viver sem lhe permitir que me descontrole os planos?
Cada ruga,cada sorriso,cada viagem, cada risco, cada queda,cada mistério, cada milagre, cada desgosto, cada pétala de felicidade, cada grito,cada silêncio,
são capítulos de uma história, a minha história,
pedaços de uma história universal
sempre que arrisco
não terminar no último e fazer nascer um novo.
E arrisco um recomeço.