quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Educação Holística – Soil, Soul and Society (Natureza, Alma, Sociedade) Satish Kumar

“A Educação é um processo para vivermos, não uma preparação para a vida futura”

Temos que ter alguma espécie de amanhã. Juntar histórias, construir histórias juntos. Entre seres livres para libertar outros seres. 
Neste país (e mundo) cada vez mais desigual e injusto, afundado em problemas económicos, ou antes, para lá deles, com as luzes vermelhas da ignorância e do medo acesas no seu máximo, tenho necessidade de emergir e pensar no sistema educativo de uma forma totalmente radical.

Porque estão a matar a Educação (já de si frágil e carregada de merda). Porque o ano lectivo está a começar sem pernas de sustentação. Porque os professores estão sem esperança. Porque as famílias estão em desespero. Porque a sociedade está angustiada.


Com vontade de pegar em facas apontadas em múltiplas direcções. Algumas que não serão as apropriadas. Outras sê-lo-ão...

Encontrei uma esperança em Satish Kumar que me inspira a deixar uma luz, mesmo que ténue. Luz que se prende raivosamente com a razão de ser deste meu blog e dos meus textos. Para esta direcção aponto as minhas facas.

Segundo este filósofo da educação e fundador de uma escola Holística, o segredo está na relação entre a espécie e tudo o que a rodeia contido nestes 3 princípios:

Do grego, Oicos= Casa ou universo habitado.
O planeta é a nossa casa. A casa onde todas as espécies vivem e interagem.
Logos= Teoria do conhecimento da natureza.
Há quantos anos existimos e como coexistimos. Estamos todos interligados e relaciona-mo-nos mutuamente.
Nomos = Gestão ou lei dos estatutos e normas. Como é que gerimos essa interacção e inter-relação?

Se alunos de escolas de renome, ou sem ele, pelo mundo fora, estão a ser preparados no sistema educativo e enviados para o “mercado”, sem saberem estes 3 princípios, não admira que o mundo económico/financeiro/social e sobretudo pessoal, esteja caótico.

O novo sistema educativo/económico deveria ser baseado não no PIB/GDP mas no GNH/PNF (Produto Nacional de Felicidade, hoje muito baixo em Portugal), como se está a experimentar no Butão, esse país insignificante e perdido nos Himalaias.
Mas que deveria ser o centro do mundo. Centro do mundo para a Educação/sistema educativo na sociedade.
Ensinam aos seus alunos não apenas sobre produtos, mas sobre como viver bem em sociedade, como bem interagir entre si e, com as demais espécies.
Coisas sobre as quais somos na nossa maioria,ignorantes.

A alquimia do ser humano é usar as mãos e o intelecto para criar. Olhar e entender com amor, espanto e entusiasmo, como nos relacionamos. Fazer.

Quando começarmos a fazer (com as mãos) e a observar (com o coração) as relações maravilhosas e harmoniosas das inter-relações na natureza, entre o sol, a água, a lua, a terra, compreenderemos (com o intelecto) de que somos feitos, como nos ligamos, a nossa co-dependência e para que nos serve a vida.

Nessa altura teremos chegado ao verdadeiro progresso. 
Através dos 3 grandes princípios do ser humano:
Mãos, Coração, Intelecto (em inglês os 3 H´s: Hands, Heart, Head) ao invés dos actuais princípios educativos:
Ler, Escrever e Aritmética.

Com as responsabilidades que sinto ter no objecto dos meus estudos, a Educação, trago os 3 H´s para me inspirar no Coração e na Cabeça e, usarei as Mãos para os transpor para o papel.


A quem a ela está ligada, deixo a sabedoria de Mark Twain: “ Não deixarei que a minha aprendizagem escolar interfira com a minha Educação”.