quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Procurar a paz “até que o homem actual saia da pré-história em que se encontra”- José Mujica,discurso na A.G. da ONU a 24 Setembro 2013

Procurar a paz “até que o homem actual saia da pré-história em que se encontra”- José Mujica,discurso na A.G. da ONU a 24 Setembro 2013 

A nós descartáveis, em guerra permanente.
Quando chegamos ao milagre da vida não nos dão livro de instruções e o que nos emprestam (a realidade) está cheio de defeitos...
Temos que criar por isso, o nosso caminho, no meio dos erros.
E procurar novos paradigmas (caminho paralelo), antes que a “natureza nos chame de inviáveis” e faça “gameover”.
Por incompetência nossa. 
Temos essa obrigação.
Nesta inquietude permanente, usa-se uma crise provocada premeditadamente para se colocar em acção medidas cada vez mais centralizadoras, totalitárias, cada vez mais usurpadoras das liberdades e dos direitos individuais.
De mais medidas de controlo e manipulação.
Pensemos,
De onde vem o dinheiro?
Quem beneficia com a crise?
Para que serve a crise?
“Temos governos de empresários que estão a dirigir os seus negócios através dos estados” (Alice Mabota, Moçambique- Presidente da Liga dos Direitos Humanos).
A cobiça, a ganância e o poder são o que nos está a “domesticar”.
“ A cobiça individual sobrepõe-se aos interesses da raça humana e ao bem comum”.
Com estas palavras e muitas mais José Mujica, Presidente do Uruguai na Assembleia das Nações Unidas, ontem 24 de Setembro, faz um discurso avassalador e empenhado com a Humanidade.

“Que se comece hoje um acordo global de Paz, porque os indigentes do mundo não são de África ou da América latina (e agora também europeus, digo eu) são de toda a humanidade”.