quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Na espuma dos nossos dias, parte V


Amor com amor se paga disse um dia alguém que já passou ao anonimato e, nos deixou um ditado com sentido. Agora é Angola que investiga empresários portugueses por um fenómeno que do lado sul do Atlântico não é prática corrente: branqueamento de capitais. E eu suspeito que em parcerias estratégicas…diz-me com quem andas dir-te-ei quem és.

Enquanto isso no quintal vizinho a palhaçada continua: a dívida criada por uns quantos ladrões, sobe para valores impagáveis, como já era antes, o homem que cospe a comer bolo rei e fala com vacas continua a ser insultado, o CDS “acardita” que o cidadão eleitor é que obriga os políticos a mentirem, Sócas cospe veneno qual mamba atiçada pela zanga entre comadres.

Para os vampiros da banca o TC é o emplastro, é a imbecil força de bloqueio para a viagem directa para o 4º mundo e o governo suga e segue neste caminho certo de estabilidade no fundo.

Não, não é um vídeo-game nem um episódio do Dallas num país sem petróleo no Beato. Vou mandar uma carta à equipa de escritores do Mentes Criminosas para se virem inspirar. Fazemos rifas para levarem os protagonistas.

Entretanto sobrevivo porque mantenho a ilusão de que um dia o PC e bando se esfumem da vida colectiva. Sou louca e tenho ilusões e sem isso seria chata e podre como eles.

Para manter o meu estado de ilusão vou arranjar um médico de família no Uruguai que me passe em receita para os meus males de espirito 70g de marijuana por semana. Levo para lá um tinto Esporão Reserva para tratar as maleitas físicas.