segunda-feira, 26 de maio de 2014

25 de Maio- Dia de ÁFRICA



Não me esqueci e aqui fica a minha homenagem, a minha história de amor com África, usando palavras de Mia Couto (retiradas de Mar me quer), numa intertextualidade com as minhas.

Eu, que de África me despeço e me regresso em permanência. 
Um sonho que passo no rosto com frequência para deixar a ruga ficar de longe a olhar-me.

-Sofres? Perdemos o amor?
-Devíamos no amor e na vida «logo pela manhã, passar um sonho pelo rosto. É isso que impede o tempo e atrasa a ruga». Que impede o descolamento de ambos.
-Dá-me motivos para ficar. Não sei que mais posso consertar
-Queres-me consertar?
-Quero-nos, como fomos. Uma peça inteira
-Não me quero ir embora mas estou-te a perder
-Vou-me embora. Já não faz sentido
Dá-me motivos para não me ir embora
-Queres-me perder?
-Deixaste-te perder de nós…
-Vou…sair pela estrada e quem sabe…
Encontrar alguém que me dê motivo…para ficar
Viu-a afastar-se, abrir a porta e sair
Virou-se de costas para que a sombra não se doesse com as lágrimas que lhe caíam.
«Nunca ninguém foi tão vizinho. Quando ela não me está nas vistas está-me nos sonhos». Tinha que existir uma cola para nos arranjar.
Sentiu a brisa de calor dos seus lábios a pousar no seu ombro…passou-se um sonho pela pele que quase impediu o coração de bater.
- …tu e eu…«somos verbo e sujeito», o meu motivo para ficar.