terça-feira, 20 de maio de 2014

Aconteceu.



A vida é um intervalo tão curto que a chave do seu propósito está em vestirmos os sonhos nossos.




Aconteceu.
Não pedimos o amor. Ele escolheu-nos. Tu e eu.
Vestiu-nos de roupas indomáveis e rebeldes iguais a ele.
Parámos de nos procurar. Esbarrámos no coração do outro. De frente.
Nesse segundo, desprotegidos, aconteceu. Os relógios suspenderam a cadência para nos vermos. Numa vénia o arco da flecha cumpriu a missão. Fez-nos entrar por ruelas que não existiam. Outras estavam esquecidas. A vida aconteceu bela, poderosa, envolvente, perfeita, curta. Para sempre infinita.
Trocámos as veias para circularmos sem obstáculos. Toma a minha chave, disse-te eu. Perdê-la-ei dentro de mim, respondeste tu.
Não conseguiremos nunca separar dois mundos que se fizeram um. O destino ludibriou a vida não lhe dando tempo para ter mais tempo. Esgotámos o nosso tempo quando ficaste sem tempo de vida. Já nada mais poderá crescer a não ser a célula que se multiplica para matar.
Não temos para onde ir se o outro não está. Infinitamente perdidos, entre o sal das lágrimas e o doce embalar do abraço que unia os corações.
Nunca mais nos vamos falar mas farás sempre parte do meu pequeno mundo. Vou adormecer e não mais no teu colo acordar. Foste a luz que guiou o escuro do meu coração. Amanheço mas a claridade ainda não se faz em mim.
A dor esmaga. Damos. Recebemos. Perdemos. Tudo. Se deixou de acontecer já não importa. Estamos despidos.
Já não importa se a culpa és tu. Ou se fui eu.
Aconteceu.




Micro conto- A minha 1ª experiência. Dedicado a quem perdeu amigos,familiares,amores para o cancro. Como eu. Foi a pensar neles que perdi,que me atrevi a fazer uma simbiose.