quinta-feira, 22 de maio de 2014

Dia do Autor- 22 de Maio

Foi com emoção :P que descobri que os autores também têm um dia especial, o 22 de Maio.
Como os autores são iguais às outras pessoas e são-no por causa das outras pessoas para além de si próprios, deixo aqui um texto de identidade renovado, que escrevi depois de lançar o meu livrito. Obrigada por lerem os textos da minha autoria . Parabéns a todos os autores.


Sinto-me guineense,
Papel, fula bijagó, doce, zangada,apaixonada
Sinto-me portuguesa,
Grega,romana, visigoda, exploradora,explorada, marinheira, magoada
Sinto-me angolana,
Quimbunda,ovimbunda,negra,branca, caçadora da vida
Sinto-me timorense,
Ilhéu,vulcão,continental, triste, vulnerável
Sinto-me asiática,indiana,
Hindu, budista, cristã, muçulmana, filósofa
Sinto-me europeia,
Judia, árabe, caucasiana,cigana, aventureira
Sinto-me santomense
Lenta,veloz,desalmada, faixa de Gaza,rainha
Sinto-me brasileira
Escrava,libertadora,comerciante, ladra, justa, guerreira, frágil
Sinto-me caribenha
Mulata,cor carapinha,olhar limpo, cabelo despenteado
Sinto-me moçambicana
Continente, governadora, dona de escravos, vendida,vendedor
Sinto-me cabo-verdiana
Olhos de sabor avelã, com a esperança da cor de mar verde, fio de cabelo castanho, feliz

Sou o pôr do sol,
o amanhecer da vida em cada dia
sou uma história feita de estórias
em versos de uma prosa demorada

Eu sou todos
Quando me relaciono com os outros
descubro-me e completo-me

nem totalmente boa, mas não completamente má,
sou vagabunda, sombria
sou a imperfeição do ser

Sou átomos de todos
e todos têm moléculas de mim

Pertenço a tribUs em cada lugar
de cada coração que abraça o meu
e em lugares sem gravidade
deixo excessos de bagagem

sou a dança com o ritmo das letras,
sou o gingar da música global,
sou a escrita com alma,
sou a que se deixa conduzir
pela sublime literatura universal
de poetas e escritores,
filósofos, criadores
e doadores
dos mais elevados sentimentos,

sinto com um coração,
Que pulsa sangue vermelho…

sou, apenas sou,
pó de estrelas
calçada de liberdade
despida de medo
vestida de paixão transparente
um pouco de nada, muito de tudo

sou...humana