quinta-feira, 12 de junho de 2014

Nova Viagem



Sempre a mudar é a minha constante forma de estar.
Porque nunca acabo, liberto o meu cadeado e vou-me viajar,
num refúgio da serra.
De lá continuarei a dar luz a escritos sobre papaias, medronhos e outras obscenidades
e o que mais me inspirar.
A tornar mais leve a minha passagem por esta terra porque a alma se desassossega quando está sem dançar.
Até já.
Lá !

Dia 14 nos Olivais é o último momento de apresentação em Lisboa dos meus traços, já com o rumo guardado nas coordenadas do meu GPS para nova paragem na viagem da minha vida.